Dia 006 – New York

Por Themys Cabral

No nosso último dia de NYC, pulamos da cama cedinho! E fomos direto para o bairro do Harlem, famoso bairro de concentração da população negra e que já foi muito violento no passado. Hoje em dia é seguro e super vale a pena o passeio. O nosso objetivo era assistir a um dos cultos em uma das igrejas do bairro. Sabe aqueles cultos, com coral e cantores que arrebentam? Então, fomos atrás disso! E não nos decepcionamos. Estou para dizer que foi o melhor programa que fizemos em NYC.

Eu tinha separado um lista com três igrejas. A primeira, com indicação de ter a melhor qualidade musical, tinha culto começando às 7h30 da manhã. Como chegamos ao Harlem já as 8h, pulamos direto para a segunda opção, que, segundo a recomendação, tinha boa qualidade musical, mas era muito turistona. Chegando lá, vimos o pessoal da comunidade chegando elegantérrimos. Quando íamos entrando, fomos BAR-RA-DOS! A explicação era de que aquele culto, naquele horário, era só para a comunidade e não aceitava turistas.

A esta altura eu já estava bem chateada e achando que não íamos conseguir assistir o tal culto do Harlem. Resolvemos tentar a última opção que eu tinha, que segundo as recomendações era de uma igreja mais modesta. Chegando lá, às 9h, estava no meio de um culto (outro começaria às 11h). Resolvemos esperar para não entrar no meio. Mas, quando vimos pessoas da comunidade entrando no meio, resolvi arriscar e perguntar se podíamos entrar. E, sim!

Nós, não só entramos, como, fomos super bem acolhidos por aquela comunidade (eles se preocupavam em nos mostrar onde acompanhar as leituras da bíblia e músicas). Assistimos o restante daquele culto, a apresentação do coral das crianças na sequência, e ainda ficamos para o culto das 11 horas. E foi fantástico!!!

Nos sentimos como se estivéssemos dentro de um filme. Os cantores arrebentam. Até o reverendo arrasava! Cantava muito! Ele fazia o sermão e ao final emendava um sermão em forma de música. Inacreditável!!! Uma senhora nos “adotou” lá e nos levava para cima e para baixo. Inclusive providenciou lanchinho para gente, hahahah! Ao final, várias pessoas vieram nos perguntar se havíamos gostado do culto e nos convidaram para voltar outras vezes.

No post que estamos preparando de NYC, com nossas dicas consolidadas, passaremos as indicações de como chegar nessa igreja. Vale a pena! Por respeito, nós não pudemos, infelizmente, filmar o culto (mas ficamos morrendo de vontade para poder compartilhar com vocês). O único momento em que pudemos filmar foi durante a apresentação das crianças com o coral principal, pois não fazia parte do culto. Já dá para ter uma boa ideia do que estamos falando neste vídeo aqui e ficar com vontade de ir lá (eu, por exemplo, já estou morrendo de vontade de voltar!!!)

Depois do Harlem, seguimos caminhando para o Central Park (para quem é de Curitiba, o Central Park é o Parque Barigui dos nova-iorquinos). Percorremos o parque inteiro a pé. Um passeio realmente muito agradável. Vimos muitas famílias brincando com seus cachorros (de novo, tudo parece um filme!), esquilos ao longo de tomo caminho, ao melhor estilo Tico e Teco.

Central Park num dia de outono

Depois, de metrô (usamos esse meio de transporte para tudo), nos mandamos para a Ponte do Brooklyn. Afinal, era o nosso sétimo aniversário de casamento e precisávamos de um lugar romântico e aconchegante para comemorar. Ali, fomos jantar no Juliana’s Pizza, nosso último passeio em NY. Nada melhor do que terminar o dia com um visual desses.

Vista de Manhattan a partir do Brooklin.

Já estamos com saudades desta cidade que amamos!

Booking.com
Modificado e otimizado por Jean Kássio