Safari na Tanzania

Dia 173 – Safári no Lake Manyara

Por Themys Cabral

A boa notícia é que não tomamos o calote. Cedinho, o guia motorista estava nos esperando na porta do hotel, com o jipe, bem velhinho, mas de boa. A outra notícia boa era que só iríamos eu e o Robert no tour (embora o carro tivesse lugar para 6 turistas). Saímos em direção ao Lake Manyara, mas antes passamos no mercado e num caixa automático, já que tínhamos ficado lisos de dinheiro ontem.

Safari na Tanzania

Partida para safári em Arusha, na Tanzania

No roteiro do safári, o primeiro dia, no Lake Manyara, é para ser o mais palha de todos, pois ele é caminho para o Serengueti e Ngorongo, as principais atrações. Mas mesmo assim, já no primeiro dia curtimos bastante. No caminho, vimos vários masais (grupo étnico tribal da região) e ficamos curiossímos para conhece-los mais de perto. O nosso guia avisou que os masais adoravam cobrar dos turistas por foto e decidimos ficar longe, pois não gostamos desse tipo de negócio (se não for para ser uma interação verdadeira, não tem graça).

O guia era bem animado, alto-astral e se esforçava bastante em achar os animais para observarmos de dentro do carro (com a capota abaixada). Já no primeiro dia, vimos muitas zebras e elefantes (adoro elefantes, vimos famílias lindas!). Mas chegamos atrasado num ponto e perdemos um guepardo.

lake manyara

Gnus no safári no Lake Manyara.

lake manyara

Elefantes no primero dia de safári no Lake Manyara.

lake manyara

Zebrinha no primeiro dia de safári no Lake Manyara.

lake manyara

Tinha macaquinhos também!

No fim do dia, nos encaminhamos para o acampamento Panorama. Como não era altíssima temporada, mesmo tendo pago o safári para ficar em camping (mais barato), nós pudemos no primeiro dia ficar num iglu de pedra só para mim e para o Robert. Foi ótimo começar assim.

lake manyara

Iglu que descolamos para passar a noite, após o primeiro dia de safári no Lake Manyara.

Já lá no Panorama estava o cozinheiro que nos acompanharia por todo o safári. Chique, não é não? Não estou acostumada a acampar com essas mordomias. Enquanto tomávamos banho e descansávamos um pouco, ele preparou a nossa refeição e foi a refeição mais gostosa em dias. Não sei se era a fome ou se estava boa mesmo.

Depois do jantar teve aquelas apresentações para turistas, sabe? Nós não curtimos muito esse tipo de coisa, mas já que estávamos lá, assistimos. Depois descansávamos bem no nosso iglu (feliz por não precisar acampar naquele frio).

 

 

Leia outros textos relacionados
Modificado e otimizado por Jean Kássio