Crédito da foto: Robert Nespolo

O que fazer em San Francisco

Por Themys Cabral

Felicidade é igual expectativa versus realidade. Por que estou dizendo isso? Minha expectativa para San Francisco era altíssima. Com isso, o risco de me decepcionar com a cidade era grande…

Assim, não é que eu não tenha gostado de San Francisco, só não achei essa Brastemp toda. Mas, veja, gosto é gosto. O Robert, por exemplo, achou a cidade bem legal. Então já peço desculpas antecipadas para você que adora San Francisco, tá?

Deixa eu dizer por que eu não gostei tanto de San Francisco: 1) achei as pessoas de lá não tão queridas como em outras cidades americanas; 2) achei a cidade mais bagunçada, com o transporte público meio zoadinho (principalmente para quem está vindo de NY; 3) por fim, achei que foi a cidade com mais louquinhos por metro quadrado, hahah.

Mas vamos lá para as nossas sugestões do que tem para fazer na cidade (tem bastante coisa bacana, apesar de tudo!).

MARKET PLACE (Ferry Building, no Píer 1)

Galeria do Market place.

Galeria do Market place.

Uma espécie de mercado municipal, bem bonitinho. Prove tudo que puder (eles dão várias amostras)! Quando for lá, aproveite para almoçar na Boudin Bakery (super dica da Camila Maistrovicz!), que fica do outro lado da rua, num mini shopping. É bom e barato. Peça a especialidade da cidade: clam chowder. Uma sopa que vem dentro de um pão e é feita com uma espécie de ostra.

Crédito da foto: Robert Nespolo

Sopa de clam chowder.

ALCATRAZ (Bilheteria e embarque entre o Píer 31 e 33)

Reserve o passeio por este site com antecedência de pelo menos um mês para você ficar seguro. Quando nós chegamos, não tinha mais ticket disponível. Se acontecer o mesmo com você, segue essa nossa dica quente: caia da cama e madrugue, chegando ao píer de onde saem os barcos pelo menos às 6 horas da manhã. Aguarde na fila na frente da bilheteria… E reze! A bilheteria só abre às 7h, mas a fila começa antes. Todos os dias, quando eles abrem a bilheteria, eles liberam alguns poucos tickets last minute! Nós conseguimos o nosso.

Tickets last minute.

Tickets last minute.

Gostamos e achamos interessante o passeio (principalmente se você nunca visitou uma prisão). Tem áudio guia em português e dá para aproveitar bastante. Mas achamos turistão demais.
Havíamos visitado a prisão do Fim do Mundo, no Ushuaia (Argentina) e achamos mais interessante. Até o passeio pelo Museu do Carandiru, em São Paulo, com os instrumentos do que sobrou da antiga prisão, nos impactou mais. De toda forma, ainda, assim, não desaconselho o passeio à Alcatraz, mas acho que vale calibrar as expectativas.

Fishermans Wharf, Píer 39 e Ghirardelli

Este foi o passeio que eu achei mais legal de fazer. Comece pelo badalado Píer 39. Conheça as lojinhas e dê uma olhada nos restaurantes. Se você for canhoto, não deixe de passar da Lefty’s, uma loja especializada em produtos para pessoas como nós. E, se você não for canhoto, passe por lá ainda assim. É, no mínimo, curioso.

O badalado Píer 39 de San Francisco.

O badalado Píer 39 de San Francisco.

Do Píer 39, siga caminhando em direção ao Fishermans Wharf e deixe se perder pelo bairro. Encontre um lugar bacana para almoçar e não caia na mesma besteira que eu e o Robert de comprar um daqueles sanduíches de crab. São muito ruins. Cheio de maionese e gelados.
Sigo o passeio até a fábrica de chocolate da Ghirardelli. Uma delícia. Não esqueça de pegar a amostrinha de chocolate que eles dão na entrada. Aproveite para comprar uns chocolatinhos deliciosos ou mesmo tomar um sundae.

Lombard Street/ Crookedest Street
Eu tinha bastante expectativa para ver essa rua, que nada mais é que uma ladeira em forma de zigue-zague completamente verde. Eu tinha visto fotos lindas dela. Mas estas fotos são feitas do alto e eu não consegui ter a mesma visão estando lá. Outro ponto negativo no meio passeio é que quando eu cheguei já estava escurecendo. Vai que você tem mais sorte do que eu!

O passeio para a Lombard Street: Fail.

O passeio para a Lombard Street: Fail.

California Academy of Science (Golden Gate Park)
Gastamos cerca de 3,5 horas lá dentro para ver toda a exposição, que é bem bacana. Lembre de pedir seu desconto se você usou transporte público para chegar lá ou se você tiver carteira de estudante.

Golden Gate Bridge
Cartão postal de San Francisco. Todo mundo tinha dado a dica para fazermos este passeio de bike. E estávamos animados para isso (embora eu não seja uma pessoa muito fitness). Mas, chegando em San Francisco, quase caí de costas com o preço da locação da bicicleta: US$ 32/ dia. Multiplica isso por quatro. R$ 128 por dia, cada um, para pedalar??? Nem pensar! Pegamos o ônibus de linha que nos deixou no comecinho da ponte, gastando menos de US$ 5 nós dois. Fomos e voltamos pela ponte a pé e foi um passeio hiper agradável.

Eles reservam um lado da ponte só para bikes e o outro lado da ponte só para pedestres. Eu acho que o lado da ponte para pedestres tem uma visão melhor. A dica é pegar o ônibus 28 que te deixa no comecinho da ponte. Não tente dar uma de esperto pegando o ônibus metropolitano para te deixar do outro lado da ponte para você só precisar voltar a pé. Não vai dar certo. Foi o que tentamos fazer. O ônibus metropolitano que segue para outras cidades após a ponte, só para no começo (do lado de San Francisco) e depois só lá para frentão.

Golden Gate Bridge.

Golden Gate Bridge.

Haight Ashbury
Este é o bairro hippie de San Francisco e vale uma caminhada agradável pela rua principal: Haight Street.

Castro
Castro é conhecido por ser o bairro gay de San Francisco e vale o passeio.

Union Square
É o centrão. Vale ir lá para ir na Cheesecake Factory (que fica dentro da Macys) ou mesmo comer um hambúrguer, que fica no andar de baixo do mesmo prédio. Esse hambúrguer é considerado um dos melhores da cidade.

Árvore de natal gigante na Union Square.

Árvore de natal gigante na Union Square.

Chinatown
Eu acho as chinatowns bem parecidas em todas as cidades que a gente vai. Mas como estávamos hospedados bem perto, demos uma passeadinha por lá.

O que não fizemos (por falta de interesse, tempo e/ou dinheiro):
Exploratorium, Palace of Fine Arts e Twin Peaks.

ONDE COMER
Temos duas dicas de restaurantes bom e baratos que amamos em San Francisco (para mim foi a melhor parte da cidade!!!):

Mona Lisa (353, Colombus Ave)
Restaurante italiano. Peça o spaghetti ao sugo. Uma delícia! É super barato. US$ 13. Porção bem servida.

Comemorando o aniversário da Themys no Mona Lisa.

Comemorando o aniversário da Themys no Mona Lisa.

Urban Curry (523, Broadway Street)
Comida indiana de primeira. Uma delícia de sabores. Não deixe de pedir um naan para acompanhar a sua refeição. Eles fazem este pãozinho na hora. Quentinho, uma delícia. Não é caro não. Deu para matar a saudade do Tuk Tuk (meu restaurante preferido em Curitiba, especializado em comida indiana e tailandesa).

Matando a saudade do Tuk Tuk no Urban Curry em San Francisco.

Matando a saudade do Tuk Tuk no Urban Curry em San Francisco.

COMO SE LOCOMOVER
Nós usamos transporte público. Compramos um cartão de transporte, cada um com um passe que valia para vários dias e é possível usa-lo ilimitadamente. A compra foi feita numa máquina numa estação de metrô. Lá, com o transporte público dá para se virar bem, embora não seja tão organizado como NY, por exemplo. Você pode entrar pelas portas traseiras do ônibus e validar o seu embarque com o cartão nas maquininhas que ficam na lateral (sim, tem uma galera que entra sem pagar!). O mesmo cartão vale para usar nos bondinhos da linha F e o histórico cable car (que sempre está lotado).

Leia outros textos relacionados
Booking.com
Modificado e otimizado por Jean Kássio